Crianças com câncer podem morrer caso não sejam retiradas de Kiev, dizem médicos

Os pacientes tiveram que se refugiar nos porões dos hospitais após a invasão russa e enfrentar a falta de suprimentos.

As crianças que lutam contra o câncer e que precisaram se abrigar em porões de hospitais, após a invasão russa à Ucrânia, podem não sobreviver a menos que sejam retiradas de Kiev, alertam médicos e enfermeiros.

Os pacientes precisam ir para centros especializados para que possam retomar o tratamento em segurança. Em Kiev, as crianças enfrentam a falta de suprimentos enquanto lutam contra doenças graves.

Em entrevista à NBC News, do porão do maior hospital infantil de Kiev, a Dra. Lesia Lysytsia ressalta que a luta dos pacientes não pode esperar.

Se o tratamento do câncer infantil for interrompido pela guerra, nossos pacientes vai morrer, em alerta.

Médicos da maior instituição de caridade de câncer infantil da Ucrânia estão trabalhando para transportar pacientes para um centro médico especializado em Lviv, no oeste do país, e depois enviar crianças com casos mais graves para a Polônia.

Dos doentes mais vulneráveis, 14 partiram na passada segunda-feira de autocarro para Lviv (28). Outras 20 crianças farão o mesmo trajeto nesta terça-feira (1º), apenas para serem escoltadas até a fronteira com a Polônia.

fonte R7