Laudo final aponta que Paulinha Abelha morreu por infecção no sistema nervoso

A cantora da banda de Forró Calcinha Preta morreu em fevereiro deste ano aos 43 anos

Paulinha Abelha, cantora de forró da banda Calcinha Preta, morreu de uma infecção do sistema nervoso, segundo o relatório final concluído nesta quinta-feira (31). O artista morreu no dia 23 de fevereiro deste ano, aos 43 anos, após passar seis dias internado.

O Hospital Primavera de Aracaju (SE) confirmou na época que Paulinha morreu por complicações de uma doença multissistêmica. . O marido da cantora, Cleverton Venâncio Santos, pediu parecer médico especialista para investigar as causas da internação e morte da esposa.

De acordo com o laudo, a lesão renal relatada pelo paciente não está relacionada à ingestão de qualquer medicamento.

Com base nos prontuários analisados, a lesão hepática não tem relação causal com a medicação prescrita. Os exames realizados (LCR) mostram infecção no sistema nervoso central, com celularidade demonstrando a hipótese diagnóstica de meningite, diz o documento.

O laudo também destaca que os medicamentos prescritos […] não causaram lesão e/ou intoxicação no paciente, ou seja, não há relação causal entre os medicamentos prescritos e o óbito. Não há evidências de que a intoxicação alimentar tenha desencadeado a patologia do paciente, porém a intoxicação alimentar pode causar danos renais, hepáticos e cerebrais, culminando em alguns casos em óbito do paciente, dependendo da gravidade da doença e da virulência do agente patológico do paciente.

De acordo com o relatório médico do especialista, não há indícios de que a necessidade prevista de atendimento médico neste caso possa frear o curso da doença. No entanto, o documento ressalta a importância da busca rápida por atendimento médico, que na maioria dos casos é ideal para o sucesso do tratamento.

No entanto, o desenvolvimento da patologia do paciente foi rápido e incontrolável, evoluindo ao longo do tempo. Morte. O óbito dos pacientes ocorreu por processo infeccioso no sistema nervoso central, conforme indicado no atestado de óbito, e não por intoxicação por drogas exógenas, conclui o parecer médico.

Fonte: cnnbrasil.