Dez Curiosidades da Copa do Mundo Brasil 2014

O Brasil 2014 se apresenta como uma emocionante Copa do Mundo em que a Espanha defende seu trono, a anfitriã aspira a conquistar seu sexto troféu e seleções como a Bélgica ou a Colômbia esperam dar o sino. Mas também será uma Copa do Mundo única por outros motivos. Dez dias antes do início da Copa do Mundo, apresentamos dez curiosidades sobre este evento.

1. Bélgica, uma só como em Fuenteovejuna: A seleção belga começa como uma das possíveis revelações da Copa do Mundo com um time jovem, mas de enorme qualidade, com grandes estrelas como Courtois, Hazard ou Lukaku. O governo belga está ciente disso e decidiu reagendar as datas dos exames de mais de 17.000 alunos para tornar o apoio esmagador. A suspensão continuará até que a Bélgica seja eliminada.

2. A Alemanha deve estar na final: não estou dizendo isso, as estatísticas dizem. A Mannschaft é a equipa com maior número de presenças na final, sete em dezanove edições. Desde 1938 ele não passou mais de duas edições consecutivas sem participar da última partida, então após seu terceiro lugar na África do Sul e Alemanha, a tradição dita sua presença na final.

3. Klose, depois de Ronaldo: Aos 35 anos (36 na época do início do torneio), o atacante alemão encara sua quarta Copa do Mundo com um objetivo em mente: derrubar Ronaldo como o maior artilheiro de todos os tempos em Copas do Mundo. Klose está a apenas um gol de chegar aos 15 que Ronaldo marcou. 4. A maldição da Bola de Ouro: Cristiano Ronaldo já tem um novo desafio em mente. Um jogador que recebeu a Bola de Ouro antes da Copa do Mundo nunca venceu a Copa do Mundo. Grandes jogadores como Cruyff (1973), Rummenigge (1981), Baggio (1993) ou Ronaldo (1997) estavam a um passo de alcançá-lo.

5. Espanha, para fazer história: Nossa equipe tentará conquistar o que ninguém conseguiu desde 1962: vencer duas Copas do Mundo consecutivas. Seria a terceira vez que o mesmo time se repetiria como vencedor de duas Copas do Mundo consecutivas; A Itália conquistou-o em 1934 e 1938 e o Brasil em 1958 e 1962. Além de seus rivais esportivos, tudo indica que “La Roja” enfrentará pressão do público brasileiro que tentará evitar um rival firme pelo título, como ele aconteceu na Copa das Confederações

 6. Bósnia, apenas novato:

Na África do Sul, a Eslováquia foi a estreante do torneio; agora é a equipe comandada por Edin Džeko que enfrenta sua primeira Copa do Mundo. A seleção bósnia também não havia participado de nenhum campeonato europeu até o momento. Apesar de seu papel de estreante, a Bósnia tem chances de se classificar em um grupo no qual competirá com Argentina, Nigéria e Irã.

7. Não perca um único gol: o Brasil terá o “olho de falcão” para evitar “gols fantasmas”. O sistema, baseado na colocação de sensores nas traves do gol, foi implementado para evitar polêmicas como a que ocorreu na partida das oitavas de final da África do Sul em 2010, entre Inglaterra e Alemanha. Com o jogo 2 a 1 a favor dos alemães, o meio-campista britânico Frank Lampard chutou a gol e a bola saiu claramente por cima da linha do gol.

Porém, o uruguaio Larrionda não sofreu o gol e os ingleses acabaram derrotados por 4-1. A história roubou da Inglaterra o que o “gol fantasma” de Geoff Hurst deu a ele contra a seleção alemã na final da Copa do Mundo de 1966.

8. Árbitro, tempo limite! O Brasil 2014 vai implementar uma medida revolucionária. Como se fosse basquete, os treinadores podem solicitar um tempo debitado em cada parte do jogo. Apenas dois requisitos devem ser cumpridos: o 30º minuto do período em jogo deve ter sido ultrapassado e a temperatura deve ultrapassar os 32º (o que não será complicado, pois a FIFA decidiu manter os jogos disputados às 13h, tempo máximo quente). Com a medida, a Fifa atende ao pedido do técnico italiano Cesare Prandelli, que reclamou que seus jogadores ficaram com falta de oxigênio durante a disputa pela Copa das Confederações.

9. Os jogadores… na baia: Os árbitros terão um novo instrumento, além do apito e dos cartões, para fazerem valer a sua autoridade: um spray . A trança terá uma tinta spray esmaecida para marcar na grama a linha que não pode passar a barreira em uma falta e o ponto onde a bola deve ser colocada para o lançamento. Não haverá mais protestos sobre a distância da barreira. 10. O que seria do futebol sem uma boa cerveja?:

 Brasil teve que modificar a legislação que proibia a venda de bebidas alcoólicas em seus estádios, já que é uma das exigências que a Fifa exige do organizador. A cerveja oficial, que será servida em copos de plástico de meio litro, será da marca local Brahma e terá um custo equivalente a 3 euros. Por apenas alguns euros a mais, os fãs podem provar a cerveja Budweiser.

Borja Iglesias